Quarta-feira, 14 de Novembro de 2007

Águas Frias- Como se amputa a História

 

É costuma dizer-se na aldeia que, quando alguém avista um lobo se lhe põem os cabelos em pé. A verdade é que a mim, se algum dia aconteceu (e vi alguns), não me lembro. Agora que se me põem os cabelos em pé, não por ver lobos ou quejandos, mas, outrossim, quando constato situações que não gostaria que acontecessem, ai isso sim!

E ainda há dias me aconteceu. À conversa com um colega, numa daquelas horas em que nos obrigam a esperar que ninguém se lembre de faltar, lembrava-me ele um artigo que em 2001 havia enviado para publicação no JN, exactamente sobre um acontecimento de má memória que ocorrera nessa época em Valpaços e que até mereceu honras de televisão. Reiterou que o fez por não ter encontrado, no imediato, forma mais eficaz para manifestar toda a sua indignação. E fê-lo muitíssimo bem, sobretudo tendo em conta que o assunto, dizendo respeito a qualquer cidadão interessado pela cultura, tinha a ver, sobretudo, com os valpacenses.

Mas, dirão os meus amigos Aquifrigidenses, que teremos nós a ver directamente com essa coisas que se passam aí por Valpaços, para as trazeres a este espaço onde, afinal, pretendes abordar questões da aldeia?

De facto, a minha indignação, mais tardia por desconhecer alguns pormenores que só mais tarde pude conhecer, foi e ainda é, muito maior que a do meu colega. Porquê?

Então aí vai, resumidamente, a história: numa casa em ruinas - a da fotografia - situada mesmo no centro de Valpaços, alguém descobriu, inadvertidamente, um monte de "papelada", alguma já em muito mau estado devido às intempéries a que já tinha estado submetida não se sabe muito bem durante quanto tempo. A descoberta  terá sido confiada a alguém que, eventualmente, poderia interessar-se pelo assunto. Dirigindo-se ao local constatou que se tratava de documentação que faria parte do arquivo municipal. Instado a pronunciar-se sobre o assunto, o então vereador da cultura, terá justificado a deposição daqueles documentos nesse local por fazerem parte do arquivo morto da Câmara, sendo que aí se encontravam somente licenças para cães, o que, no seu entender, não teria qualquer valor. Depressa chegou ao conhecimento de um jornal de Chaves que, acto contínuo, publicou a notícia dando-lhe o merecido relevo e sublinhando que haveria documentação de muitíssimo interesse que não tinha nada a ver com as ditas licenças dos caninos, o que motivou a vinda da televisão e mesmo um emissário do IPPAR que, em primeira instância, obrigou a remover todo aquele acervo para um localonde pudesse ser feita uma triagem e a verificação do interesse ou não daqueles documentos. Mantive-me sempre na expectativa e, como não sou demasiado curioso, deixei correr os acontecimentos, ainda que procurando estar ao par do que se ia passando. O que eu não sabia era que haveria lá muita coisa que, se calhar, podia ter ajudado a salvar por nos interessar a sua preservação e tratamento.

Na verdade, só depois de, num  verdadeiro acto de um tribunal do Santo Ofício, o dito vereador da cultura, muito pela calada, ter mandado queimar todo aquele conteúdo na lixeira municipal, me foi dito que, na pira do demoníaco edil, acabava de ser cremada uma boa parte da história de Monforte de Rio Livre. De facto, alguém viu nomeadamente livros de actas do nosso concelho que aqui haviam chegado por, na altura da extinção de Monforte se encontrarem em Lebução que, como se sabe, passou a pertencer, também a partir daí, a Valpaços.

Assim se permitiu, um reles vereador, amputar definitivamente uma boa parte da história da nossa terra. Pena é que os políticas continuem a portar-se perante a justiça como qualquer cidadão inimputável, não sendo, por isso, penalizados pelas suas asneiras. E não são poucas nem pequenas.

tags:
publicado por riolivre às 16:33
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De ÁguasFrias a 15 de Novembro de 2007 às 22:06
Caro Tino.
A descrição de tão vil actuação sobre as "Memórias de um Povo" é certamente de pôr os cabelos em pé a qualquer um.
Tocas em dois pontos que merecem a reflexão de todos:
- A falta de cuidado (entidades públicas ou de particulares) pela preservação dum Passado, seja ele arquitectónico, escrito ou de qualquer outro tipo;
- A impunidade pelos autores de tantas atrocidades ao património cultural deste nosso País (e não são eles tão poucos).
Comungo contigo, a indignação e revolta pelo lesivo acto de amputação de uma parte da memória/história do concelho de Monforte do Rio Livre e consequentemente de Águas Frias.
um abraço
Mário Silva
De hpserra a 19 de Novembro de 2007 às 10:18
A Cultura, é aquela coisa por vezes "chatinha" com a qual os governantes, sejam locais ou centrais, tem que lidar e/ou aturar aqueles "chatinhos", é Cultura e o Meio Ambiente, que "chatice"!!! E como se bastasse, agora aparece mais um espécie de "chatinhos", os bloguistas, já não se pode "governar" em paz!!
De Tupamaro a 30 de Novembro de 2007 às 19:09
“Ganhámos!”
Viva o …..(rinhónhó…) !

Pobretes!

Nem sabem, nem conseguem saber o que significa «ser» deste ou daquele Partido.

Levados por uma ilusãozeca de gamar um qualquer benefício, de obter um qualquer outro «jeito», resolvem dizer-se, de papo cheio e balofo, que são deste ou daquele clubezito político.
Assim, sem mais nada.
Estatutos?!
Não sabem o que isso é!
Princípios fundamentais da ideologia do Partido?!
O que será isso? Hum! Não interessa!
Deveres?! Obrigações?!
O que significa ocupar aquele cargo?!
Bah!

O que vale e importa é desfrutar daquela histérica borracheira de copos e soberba causada pelo «ganhÂmos» - que nem bem pronunciada sabem usar (GanhÁmos).

Põem a cruzinha na cruzeta do Partido pelo qual estão embeiçados (sabe-se lá porquê!) e uns ignotos e ignominiosos tratantes assumem cargos de administração pública que, empanturradamente, arrotam de cargos políticos.

Como se soubessem eles, e só eles, o significado de «política»!

Depois passam o tempo dos mandatos a “carminholar” da falta disto e de tudo, e a culparem os outros da incompetência e imbecilidade dos seus correligionários mandões.

Colam uns cartazes, fazem que «dão» uns plásticos e umas canetas, pincham para as fotografias, mostram a dentuça convencidos de que sabem sorrir, e, quais macacos pelados, a sua mente está tão recheada de conhecimento e sensatez quão adornado estava o rei em coiro.

E lá têm os lusitos que ficar sujeitos às diatribes, às golpadas e às imbecilidades duma enorme cambada de pantomineiros - que, além de crimes e asneiras, são mesmo um estorvo para a História, e para a Humanidade.

Esse «vereador» quis «dar uma» de Amr al-Ass ou de Calvino e sentenciou:
- «se nesses Livros constava a Acta da minha tomada de posse como vereador, não fazia mal porque dela já tenho cópia; se não constava, também mal não fazia, pois esses “catrapázios” não mereciam ser preservados».

Badameco!

Esse pindérico não só melindrou os naturais do antigo Concelho de Monforte de Rio Livre como todos aqueles que respeitam a História.

Para esse pé-descalço da Cultura tem mais valor um par de socos (sócos) - e uns socos (sôcos) bem os merece!) - do que os Anais dos Povos Transmontanos!
Que os pendure nas orelhas!

Tupamaro

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. TEMOS UMA ESCRITORA

. NATAL 2015

. POR TERRAS DE MONFORTE

. O CASTELO, SEMPRE!

. O CASTELO FOTOGRAFADO PEL...

. XXIII ENCONTRO DE BLOGUES...

. JÁ NÃO HÁ ENTRUDO

. ...

. APONTAMENTO

. XXII ENCONTRO DE FOTÓGRAF...

.arquivos

. Março 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Março 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Novembro 2011

. Julho 2011

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

.links

.on line

online

.rádio

blogs SAPO

.subscrever feeds