Domingo, 22 de Julho de 2007

O Tear da tia Inocência

 

Numa época em que tanto se fala de globalização, energias alternativas, aproveitamento de recursos e quejandos, não é que dei com esta prenda no fundo de uma gaveta?

Pois é, a verdade é que quando deparei com a tia Inocência em plena laboração no seu tear, na sua casa da Lampaça, provavelmente enquanto o Ti Zé Justina tratava do quintal, não hesitei em trazê-la até aqui.

De facto, se recuarmos no tempo - e esta fotografia já tem mais de trinta anos - podemos observar como, quando ainda não se falava em reciclagem, já em Águas Frias (como noutros locais, evidentemente) se teciam os mantões a partir de farrapos velhos que as mulheres iam juntando em casa. Com uma diferença: os mantões eram, na maior parte dos casos, mandados tecer com a finalidade de aquecer os corpos das pessoas enquanto dormiam (onde estavam os edredons?) e hoje, regalam-se as herceiras que os têm para atapetar as suas casas. Como os tempos mudam...

Mas a tia Inocência também produzia cobertores e colchas de linho. Ah! durante muitos anos, o linho foi cultivado intensamente na aldeia. Ainda me lembro de algumas mulheres, era eu um garoteco, estarem a espadaná-lo (creio que se diziz assim) no largo de Cimo de Vila. E o que ficou disso? Exactamente o topónimo "linhar", isto é, os prédios rústicos onde se fazia a cultura do linho. E quase toda a gente tem o seu "linhar" onde, em vez do linho de outrora, cultivam o que de melhor dá a terra, o chamado "renovo" (os hortículas) e as preciosas batatas que, em tempos, foram o sustento das nossas gentes.

Bom, o tear da tia Inocência presumo que ainda estará lá na casa que deixou aos seus filhos. Estou convencido que o Felizberto e o Alfredo não se desfizeram dele. Seria óptimo que o mantivessem porque ainda não perdi a esperança de criar um pequeno museu rural que possa dar vida aos utensílios que foram objectos de trabalho dos nossos antepassados e, naturalmente, o tear da tia Inocência é uma peça fundamental desse rico património. A seu tempo estarei com eles para lhes fazer o pedido que, estou certo, irão considerar.

Deu-me um prazer enorme recordar essa senhora que, tendo-nos deixado há uns anos, se mantém bem presente no meu coração.

publicado por riolivre às 23:24
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De ftm74 a 24 de Julho de 2007 às 22:02
Olá Celestino muitos parabéns por o seu trabalho todos os dias faso a minha visita haver se há alguma novidade sobre aguas frias . cada vês que há algo de novo fico contente por ficar a saber mais sobre aguas frias e seus habitantes força no teu trabalho e muita saúde um abraso

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. TEMOS UMA ESCRITORA

. NATAL 2015

. POR TERRAS DE MONFORTE

. O CASTELO, SEMPRE!

. O CASTELO FOTOGRAFADO PEL...

. XXIII ENCONTRO DE BLOGUES...

. JÁ NÃO HÁ ENTRUDO

. ...

. APONTAMENTO

. XXII ENCONTRO DE FOTÓGRAF...

.arquivos

. Março 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Março 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Novembro 2011

. Julho 2011

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

.links

.on line

online

.rádio

blogs SAPO

.subscrever feeds