Segunda-feira, 31 de Agosto de 2009

Águas Frias - Casa do Padre

O exílio a que foi forçado pelo regime de então provocou no padre José Benedito Fernandes Lageira, que desde Junho de 1904 tomava conta da nossa paróquia, um conjunto de debilidades, tanto de carácter físico como moral que, pouco tempo depois do seu regresso  da vizinha Galiza, exactamente em 17 de Março de 1917, acabaria por falecer. Terá sido o último pároco de Águas Frias a viver na residência paroquial, no Passal.

 

A substituição do padre Lageira verificou-se em Julho de 1917, sucedendo-lhe o abade Camilo Augusto Cordeiro, um bragançano que paroquiava uma freguesia da diocese de Coimbra,para onde havia ido, ainda presbítero, acompanhar o Bispo Maris. Chegado a Águas Frias, instalou-se na casa que era de Joaquim Maria Soares, um dos filhos do abade Soares a quem teria cabido em herança.Era uma casa sóbria, edificada com o principal material da terra, o granito, toda em perpianho, com duas partes distintas, uma mais baixa, a cozinha, sob a qual ficavam as lojas e a adega, e outr mais elevada, com rés-de-chão e andar, onde se situava a parte social da habitação. Aí viveu até 1955, ano em que foi substituído pelo abade Adalberto Fernando Paiva, com raizes em Águas Frias, mas que viu a luz do dia pela primeira vez na vizinha Casas de Monforte. E também este optou por viver na casa que o abade Camilo havia adoptado, o que aconteceu até há cerca de dois anos a esta parte quando, devido à sua avançada idade (já vai nos noventa anos), se viu forçado a resignar para dar lugar a um jovem barrosão, de Pisões, que, desde então, é o responsável pelo rebanho dos cristãos da nossa terra.

 

Vem tudo isto a propósito do estado em que aquela que ainda continua a ser conhecida como a casa do Padre se encontra. De facto, numa época em que, para felicidade de todos os aquafrigidenses, há um conjunto de pessoas que vai procurando adquirir casas devolutas, quase todas em ruinas ou, no mínimo, desabitadas há muitos anos, com a intenção de as restaurarem e lhes dar condições de habitabilidade, repovoando, pelo menos ao fim de semana e/ou nas férias a nossa aldeia, não se percebe a atitude dos actuais proprietários que, residindio no Porto, nem vendem nem se vislumbra que algum dia venham a interressar-se pela moradia que aqui possuem. É uma pena que ninguém consiga levar essa gente a tomar uma atitude diferente perante um património de algum valor.

 

 

 

Eis o estado em que se encontra a parte inferior, com as ervas daninhas a começar a invadir a varanda. As videiras já não conhecem a tesoura que as tinha habituado à poda anual. O quintal, outrora espaço muito produtivo, está absolutamente abandonado.

 

 

Este é o alçado sul do edifício superior. Também aqui se nota a degradação que, por não ser habitada, a vai corroendo.

 

 

Do lado nascente encontra-se a entrada principal que, como se pode constatar, para além da degradação evidente, começa a ser tomada por tudo quanto é vegetação.

 

 

Finalmente, com um ar muito concentrado, o único sobrevivente que por ali se mostrava, estando, provavelmente, à espera que algum dos seguramente muitos roedores que agora habitam a casa lhe sirva de manjar.

 

publicado por riolivre às 23:35
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De ÁguasFrias a 2 de Setembro de 2009 às 22:15
Amigo Celestino:
Mais uma vez, conseguiste surpreender-me, pois num só post, conseguiste dar-nos mais um pouco da História de Águas Frias e ao mesmo tempo demonstrar como muito do edificado da Aldeia se encontra ao abandono e o movimento (positivo, na minha opinião) de Gentes que embora residam fora, fazem um esforço para reconstruir e recuperar algumas dessas casas, mesmo que seja para um tranquilizante fim-de-semana ou umas férias com os amigos.
Um abraço
Mário Silva

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. TEMOS UMA ESCRITORA

. NATAL 2015

. POR TERRAS DE MONFORTE

. O CASTELO, SEMPRE!

. O CASTELO FOTOGRAFADO PEL...

. XXIII ENCONTRO DE BLOGUES...

. JÁ NÃO HÁ ENTRUDO

. ...

. APONTAMENTO

. XXII ENCONTRO DE FOTÓGRAF...

.arquivos

. Março 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Março 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Novembro 2011

. Julho 2011

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

.links

.on line

online

.rádio

blogs SAPO

.subscrever feeds